Notícias
Clonagem de WhatsApp

Clonagem de WhatsApp

O golpe ocorre da seguinte forma:

O criminoso liga ou envia uma mensagem se passando por um funcionário de site de compra ou de um banco e diz que estará encaminhando um código promocional ou código de confirmação. Ele pede para que a vítima informe esse código que, na verdade, é a verificação do WhatsApp e com ele o criminoso consegue clonar a conta do consumidor.

Após a clonagem, o criminoso passa a enviar mensagens para os contatos da vítima, se passando por ela, pedindo dinheiro. As desculpas para solicitar dinheiro emprestado são as mais diversas, e na maioria das vezes os alvos principais da investida são os parentes mais próximos e amigos que, acreditando na mensagem, acabam depositando ou transferindo valores seguindo as coordenadas do criminoso.

Como evitar o golpe:

a) Ative a “Confirmação em duas etapas” no WhatsApp. Acesse o link e veja como: https://faq.whatsapp.com/general/verification/about-two-step-verification/?lang=pt_br
b) NUNCA forneça o código verificador que você recebe via SMS em seu celular.
c) Não instale apps de terceiros ou compartilhe informações pessoais a pedido de ninguém pelo whatsapp.
d) Desconfie de situações em que a pessoa solicita a realização de transferências e pagamentos em caráter de urgência.
e) Ligue para a pessoa que solicitou o dinheiro e verifique se realmente é ela quem está solicitando a transação.

Caso tenha sido vítima, o que fazer:

Vítima do celular clonado
a) Envie um e-mail para support@whatsapp.com com o assunto “CONTA HACKEADA – DESATIVAÇÃO DE CONTA”. Relate o ocorrido e siga as instruções do provedor.
b) Em posse de todas essas informações, procure a Delegacia de Polícia mais
próxima de sua casa ou registre um Boletim de Ocorrência Eletrônico através do site da Delegacia Eletrônica www.delegaciavirtual.sids.mg.gov.br na opção OUTROS CRIMES.
c) Peça para amigos e familiares excluírem o telefone clonado de grupos e alertarem o máximo de contatos em comum sobre o ocorrido.

Vítima foi quem fez o pagamento

a) Entre em contato com o banco e tente bloquear o valor.
b) Providencie cópia (prints) das conversas realizadas, bem como do comprovante de pagamento.
c) Em posse dessas informações, procure uma Delegacia de Polícia para o registro de Boletim de Ocorrência.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *